domingo, 30 de outubro de 2016

Ebó Chororoso

Me sento sobre seis rodas
num tronho de sabá Cinzilante,
todo profeta, e arrisco pro vulgaréu
ar assim mei' chapado de quem faz muito
convive com os loucos e os poetas
que pelas grandes naves dão-se os Pés________

impaspacado com o biribó dos minino
sentados na esquina da nuvem, mesmo sabendo
que o Crato é mais muuuuito pra longe
do bom jesus de ver-Praga,

e me colóquio genúfero todo Choringas,
que afinal mesmo Podendo(e não posso) todos centavos do mundo

ali no entronco da dias da cruz com 24 de maio
qualquer de-Pão prêsses mininos
mais dia menos dia se transforma em pedra.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Canção do Nada e Depois(Parceria com Luciana Moraes)

Minh'alma canta
todo o Nada. Mas agradeço ao anjo
que me sentou no degrau do ônibus, ainda que longe
de Minas e dos carros-de-boi.

Pra refazer o Trabalho
não cabe Endurecer os compassos, mas DES-semear os asfaltos,
jacintos
do Capiroto. Oh rosas - de Todos os ventos - procurem sabedoria
no Jongo dos girassóis, inda que os mares Gurgitem
restôlhos de caravelas tentando nos por Medrôncios.

Oh vós que de Emaús escutarem os Concertos
não tranquem as portas ao Hóspede que lhes acena Abraço,
inda que os deuses do mundo
ofereçam a Prontidão da MÁ-quina, junto dos cavalanos
que um dia soterraram Teerã__________

Pois apesar de o "resumo" a cada um Caber
nesta canção propomos Flor e Mistério
e vocalizes Cantáricos
de Jardinezes Abertos.













domingo, 23 de outubro de 2016

Panflerestudo, nº 1(Pro Rafael Zacca)

"Delenda est pmdb! Delenda est pmdb!!"(São Mármaro)

Dormir Sovado que nem
massa de pão Rúim.
Acordorar quando no firmamento
estrelas inda trabalham.
Saculejar nos trens desafiando a física.

Trovorejar num trampaço Roncôlho
até perto dos 90, OU
beijar Caronte bem antes, pra alívio e gáudio
do pmdb.

Voltar descadeirado fedento moscôso lá pro muquifo que fica
depois das botas do judas, o ossário todo
num maçarôco Escabroso.

Dispois adrumescer Sovado, que nem...
partitura ver ritornello MALDITO_________

este é Jãozé Munguzêro. Brasileiro.
Que nem Eu.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Rondó Antigo(Parceria com Luciana Moraes)

Deus que te fizeste em Flor: respirandamos
porque também te fizeste História, com
Jequitibás e Paus-de-Ser
cujos quinhentos braços
Enlaçam desde entonces
pajés amigos e inimigos
...
Deus que os homens calam em solo enterro
embaixo dos cimentos:
passamos por entre
Fogos_________
e_________Infernos
pra te arranchar em nosso infante peito.
Por entre Fiordes________
e_________Invernos
de Lesa-Corpus
víamos as próprias árvores fugirem em pânico,
temendo cauda e saltério da Antiga Serpente,
que antes de vir o Tempo
Arrastapeou um terço das estrelas do céu...
...
Deus de flores e ventos,
nós partíamos  de guarânias, sem um estancar__________
e teus tentáculos açambarcaram sopro de Vida em nós,
milhões de Abraçaramentos___________

e respiramos, enfim,  ares de Flor
ares de Com e Por
ressurgentes de-Nós,
novamente achados Filhos e Crias
em devir-Essência.


terça-feira, 18 de outubro de 2016

Sunset Pregnancy(Poema de Luciana Moraes)

O poeta céus falou
do túmulo do embrião Originário :
- Seja você mesma.
- Aonde?
-Você mesma.

Oh, poeta, seguirei teu Caminho.

domingo, 16 de outubro de 2016

Sermão Corró Passarinho(Em memória de Rubem Alves. E pro Ullisses Areias, e Hugo Stutz. E pra Luciana Moraes, Musa)

Não chame de Sol
o que apenas soterra e queima.

Não chame de Muro
o que apenas multiplica o Medo.

Não chame de Olhar
aquilo que não 'guenta Espelho.

Não chame de Casa 
muquirifos que desincensam a Paz.

Não chame de "Exemplo" o abraço 
que apenas Açambarca amigos.

Não chame de Terra o lugar
onde só caibam capitães donatários________

não chame - ENFIM - de Lugar
o espaço onde o Filho do Homem
não tiver onde pousar a cabeça. 

sábado, 15 de outubro de 2016

Visões de São Mármaro, n. XVI(Pro Hugo Stutz)

Num tempo
onde nas almas dos homens
infâncias sofrem de Morte à prazo 
as lampadosas do Encanto criam pernocas
e fogem pelas barrancas
do rio Gavião_________

os sete mares do mundo mudam de sexo,
viram sertões de um jeito que Assumbraria
Tonhão Cabró Conselhêro.

Meninas não florem mais aquelas visagens
em que tertulham alegrinhas a futura 
multiplicação dos corpos,

no próprio espaço do céu os querubins 
magrecejaram a olhos vistos,
aperreados com tanto mandacaru do Capeta
escondichado no meio das núvis_________

olhei: ornitorrícios voadores abriram bocas,
parindo Centaurodontes
armados até às dentuças,

e os povos - côrnos, Fabrôlhos -
irão de cabeça pra baixo 
pros Quintalhões dos Infernos.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Umas Dóbroras(Musguilho, pra berimbau e fagote. Escrito em parceria com Luciana Moraes. Dedicado - de minha parte - a ela)

Num qualquer lugarejo
ali entre ele fim de Nova Iguaçu
e o armário de capotes da órbita de Ganimedes -
revogados todos os asteróides em Contrário -

uma flor no olho. No outro:
galho d'árvore bêbada, criança feita
unicamente de notas musicais.

Mas você vê dois girafantes que trampam na Uruguaiana
conversarem, e apanha um ângulo do colóquio 
como quem segura a nuvem
que passaVai_________

"eu até podia adiarantar aquele cascalho,
mas seu pobréma é anoitecer bem Rápido",

e a vida: andária assim brujão-Caranguejo,
faltando peixes na cesta e dona Rita
errando por dois centímetros o arremesso do iogurte,
que afinal era cordélia Estragada:

o guarda munícipe do outro lado da praça 
sendo INCAPAAAAZ de medir a Infinitude
daquele arremesso.

_____A poça rosa é Toda um cu,
daqueles de Umbigo.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Canção Cloresódica(Para Luciana. E pro Marcelo Reis de Mello)

SuspIgarapé
cabendo Inteiro na garganta sem mais concreto pra deglutir ostraraças
em grupos de dez________

sal agora é Tudo que a voz trabalha
nessa infalêra chamada vida
pelos escribas outrora: o tempo espalha
e as migalhas caem sobre copacabana, que aprendeu a chupar cápsulas detonoradas de fuzis atômicos
com singelência Petiz ao triturar
as balas juquinha d'Antanho________

O sal desce arranhando gargantas
que choram pontes que levam Povo
prum rés-futuro mais à Direita, 
onde também pontificam o Dragão,
a antiga Serpente e os trezeguerentos profetões de Baal
atualmente incendiando o Planalto________

a terra que ousar sobrar terá Carradas deste sal Iníquo
por semeança e castigo.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Cantigantares pra Lú

Lú: eu na verdade ando Muito
com certeza Inconha - pra não dizer rés-Nenhuma -
se de fato as danças das eternidades
têm prazo de Validade, ou se à Véra
são trombetas de prata fronterejando velórios
do bicho-hômi Morrente
pra mais de Metro________

sei com certeza nunca ter merecido
ser raptado por querubins de gravata.
Também não tenho prata nem ouro,

nunca de núncaras
fagoteei em coreto
nem conduzi exércitos 
pelas areias da Pérsia. Mas________

teus olhos-Noite Manheresceram essências
plenas de pássaros, eeee
torres sobre Antares longínquos
e eu com cinco peixes dois pães lhes Abri
a porta das caravelas,
e por mais que as antigas Serpentes
deserembuchem vulcões,
o amor que Dançamos hoje faz Chuvescer
novas matinas dum Mundo
ainda nos velocípedes.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Poema Minino(Arranjo para assovio, a partir de original para duas ocarinas)

Quando me Vi nos teus olhos, não planejei,
foi mar Alto. Anjos murílios de carinha redonda e gravata borboleta
zanzaram com mil zabumbas vestindo ipês
de todas as Cores, saudando um girassol deeeste tamanho
que ele Van Gogh pusera
bem no meio do céu.

Um mundo inteiro  -  outrora corno, candongo e chôcho  -
abriu cantares de sabiás em zabelescências
de terça-feira gorda: pianos gigantes
banzaram num galopéu por toda a cacunda
deste planeta-Navio_____

e fui junto. Das caravelas de Sagres
fui todos os caras grumetes
Berrantes no cesto da gávea, chegando onde mais terras
por encontrar houvesse.

Mas o melhor mesmo de tudo
quando me Vi nos teus olhos
foi ISTO: me vi minino e ridículo.
E achei muito bem que assim Fosse,
estar minino e ridículo_____

do contrário eu não veria nos teus olhos, moça,
mais nada além de apenas dois olhos.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

As Incelênças(Ou sobre eleições e outros roncós Cabamúndios. Pra Luciana Moraes)

Maravalhas e cózes
ver trançadura de zirílios Vidrilhos:
assim desvejo qualquer rosto de primavera 
neste país onde por Tudo faz Noite_________

São Paulo de corpo Inteiro
parindo giras de tucanatos nas eleições (ê Virgulêra
tipo ebó-Craculento!!),

e o que sobra nas algibeiras
é plantação de milhorós Roncolhudos.

Inadiantam rocinarantes que falem inglês 
e medalhões de herói se nas casacas passeiam
ratos que Roem gente 
e a esperança mais Dentro delas________

São Mármaro foi na emergência do hospital da Posse
após tomar uns ácidos verdamarelos
e a bad trip versar sobre tucanos gigantescentes,
montados por demoniões de sete cabeças dez chifres 
e sobre os chifres nomes de Blasfêmia_________

trançadura sem Espelhos de cózes prontos
em pranchejar fogaréus
sem reticências nem Fins.