domingo, 28 de maio de 2017

Poemininho

Deixa-me estar contigo
junto aos êxtases dos pianos,
entrar pela varanda de teus braços
onde a Lua se perde em Espelhos,
onde águas retumbam,

onde Voa a lícia aranha cinza
e suas véstias de noivados... e Quêremais?
Sete pássaros de amor no quarto ao lado,
deixa que nos entrem as janelas
de nossas almas_________

deixa-me bordar como esta aranha
os fados - que nos Encontrem,
nos entrelacem corações e pernas,

nos levem
onde templários somente em sonhos
andarilharam...

sábado, 27 de maio de 2017

N.5

Detrás aquela aura paúra,
tanto d'Além, arárvores
dele último cabrôcho e Enigma -

gavetas-Décadas na vênus do catalão,
o próximo flaxflu será na décima-quarta 
lua de Saturno, enquanto jorge
é reformado por tempo de serviço
na lua de Cá_________

atrás 
da gênese, e dos quintais
o Semeador traz esferas e cubos,
evém pião
guarimú.

N.4

Jurás de borboletas e cacimbas,
padim Cíço me Diz
que renasc-ERÊ-i delas nuvens,
firmamento dos pássaros_________

de novo Erão
quando horizonte for história de Cantar,
e eu durma o sono da criança que Fui,
catatau das Esferas,
das planícies.

Cada átomo do meu corpo
já foi estrela-Confim
vidência à la cubos púrpuras,
infância às tendas de Quedar_________

que Enorme a moça me Chegue,
mãos dele-Tudo...

N.3

Olhei paredes por Tudo,
que os emboçôs eram Irene,
e Futúreos. Sem energia
para as braçadas de volta à praia...

eu nem porém não pensara
em tão milhór grão-Desfecho,
mas faz-de-conta
foi capengando pros Quintos__________

nunca fui Nada, e mais de-Agora
é tudo um Bró-2017, evém:

catira da Besta, cristo falso dos mares,
com a pata
do Dragão no ombro.

N.2

Pancrácia à noite - mutuca
de caça à beça, mas temporã,
horizonte: chegança de juraçã,
mãe d'água enxuta, 
caximbís manguando à perna
catatau, dos infernos...

Palhoça:
desesperança e desgraça, conversa
pra boi-de-chifre.

No pátio Imensa imundície, um bicho
catando entre os detritos(Bandeira VIU)
o de-Comê_________

             - MUTUCA -

em meio ao pó dos concretos
em meio à cinza nas árvores 
em meio ao NÓ no horizonte ONDE
caranguejolas do meu
futuro igual Bangu carampeão brasileiro
de futebol  - no pátio é Imenso

esse mais Nada de quem morrendo 
ainda arrisca não sei quantas Mortes...


CINCO BAGARITELAS - N.1

Noitácia. Um jazz,
pianeia sófti
junto dum sax,
vitrola ampéxia. Relax(sorry - verso pobre),

retinas,
disco d'Apolo Arrefece. Já foram minhas.
Neste ouro preto há Terlúnio,
quintal dos filhos de Hagar,
e dos centauros.

Ixe, que irijirê noite Mória! Setembro é esse
que não larga mão do friê... Revestrés

(flores esperam na esquina
o bonde, que não me Leva).

sábado, 20 de maio de 2017

O Escrivancista - II(Para se ler ouvindo o quarto movimento da Sinfonia n.1, em Ré maior - "Titã" - de Gustav Mahler. Dedicado ao Leonardo Marona)

AperenZár desses hômis
cada mais Vez parirem trôlhas de menezes-côrtes
e ornitorrincos fazendo pipi nos cactos e
mais bestúntias-Escadas e dólares escapando dos cús
dos podezentes na má-Brasília

AINDA assim tua Luz me Incandêa
e te proclamo Anjicos, meu Deus!!__________

não porque fizeste o sol presidir o dia
mas porque me ensinaste a Múmua
do sofrimento ser um Céu Aberto

onde se Adentra de empós Vasta Sombra,
de empós as piores tempestades marinhas
izembiadas por Walt Whitman cujo fatós Profético
ele Álvaro de Campos imorredouramente Acendeu
num zigurate de saltar pelos tempos.

O poeta que Sou celebra a raça do Eterno 
e dos borés cantinflantes a flautejar
pelas esquinas da Terra, e digo a todos
que acrediVISTAM-SE__________

sombra de Deus se alastrará pelos futuros
apesar das paredes - e os homínidas caminharão 
guiados na Estrada do Fogo.