sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Painel tipo Concerto Grosso(Para o meu irmão André Mauro)

Um dIa o Bandeirão 'scrivinhÔ
num dos únicos sonetos ingleSEs dele:
"Aceitar o castigo Imerecido... com Altivez"_________

Serra da Barriga!! Serra da Barriga!!
Iaiá que me morDa como cem macacos
se tenho Lá tal franciscAno espÍrito!!

O mório aqui é bruceloso fudiDo,
sem tasco de efó, pimenta, oVo rosa.

Meeu São Bi'indito das baraúna'! Chuveu de tarde,
eu lembro que dêRde ele verão de 42
num tem curro-curro nas rodas do tabuLêro,
cabaro Mêrmo
com a praÇa oNze.

Desdobro a folha duzaNúncio - um coro
de silêncios magrelos - NINGUÉM pôs risPosta
ao meu patético "favor me tirar pra dança,
ligar no número tal"__________

Seeeeerra da Barriga! Seu buchudo suvaco
de suCupira, mundaú te lambeu!!
Mundaú te lambeu!! E a chuva 
cai dentro das minhas mãos com sete montanhas 
e não me laVa
as almas cansadas que trago,
____só de ouro falso
os meus dois olhos se douram...

orfeu fudiDo, Brucélio, sem êXtases de Cor,
sem faróis, sem mastros lanças lençóis 
de seda feiTa em Macau...

Cadê teus bumbuns ó samba??
Já se viu sambar sÓ c'os instrumento??

Pois é seu moÇo... Seeeerra
da Barriga!!! Então dotô, num dá pra sê 
pneumotórax nem aos 50 do segundo tempo?

NÃO. Se arranja Aí
cUm tango argentIno mêRmo.
E me faz um favô, se de ti as baraúna
correm gritando, prUvêita e defenestre no mangue

as bába-di-môça,
os ôlho-de-sogRa,
os levânta-marído,
as mãe-benta, as paçÓca

a porRa Toda!! Bahiááá!!__________

_____e faz favÔ de sÊ HÔME.


quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Jonguerê prum querido esboço de Irmã( Para Laura Pires, Irmã. Pra ser lido ouvindo o primeiro movimento da Bachiana Brasileira n.1, pra orquestra de cellos, de Villa-Lobos)

À gaivota que passa: reabre, ó Cor-de-asas
o tapume do poço________ minha fumaça 
é Maior, que em todo este tempo 
não vi o Nada sobrevestindo nos interlúnios

como esporos desencartados,
quem brasileiro que For me siga
mesmo que a frase seja Inventúria
e minha infância 
não mais na curva do rio...

eu podia morrer triturado pelo motor da
máquina do mundo, ainda assim
os inimigos do homem seriam

os de sua Própria casa em ângulo 
de janela daronde escadarias 
pros automóveis Cambaios________ alhures meu coração,

azul ou verde, Inimporta, porque sóis Vós -
olhos de minha irmã tão nêmesis
quem desde os galopes dos proto-Pianos
me Viram com Oceanos de poesia - embora vida 
não fosse móveis coloniais,

mas tempos-Seres onde impossíveis nunca 
se Vistam - Isto é meu porto,

e desde 2005 me falas, Irmã -
com a Santa Inconsequência da juventude -

_____que andorinhas ronronam, e de Volta
me receberão, Galardício.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

À la Chacal(Pururquê a reta é Torta. Para Luciana Moraes)

ProsSivelmente aminhã
não só pixinguinha, também andré desfilê
congas e calça lee_________

neste interlúnio o posto é BR, eu Verijo
a bebedeira dos carros, noite perde os cabelo'
e a chuva me enRaba a roupa.

Adeus adeusim, últimas horas vigenSiquintas
do natal-17. Próximo agora arruderêia só 
quando anonovo for Véi_______

manter luz própria, Chacal - xá cumigo -
tudo à Bangu sem sapato, MAS 
dançarandando o resto da vida.

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Outro jonguê de Natal(Escrito no dia 25/12/2017. Dedicado ao Caleb Baltazar, que me presenteou com o "Tudo e mais um pouco", do Chacal. Dedico também por tabela ao Chacal)

Meu irmão Caminhante: é natal e seu presente me chega
meio assim Sementeira
do que o mar e o canavial
se ensinam mutuaramente com molho
das mareanças da Lua____________

Chacal foi o cara dentre os graúdos
que primeiro abriu Portas - em 2011 -
pros jongue-Tongues da minha lira Diferentona,
o cabrunco aqui baixou no CEP. 20.000
que é o Maior lance de poesia da cidade 
com maioridade registrada em cartório___________

eu fui ALI armado Virgulino pelo Minotauro 
pelo seu Madruga e por um renque
de teletubies vestidos de anjos Murilianos
tocando saxofones - ganhei Inclusive diploma -
e trago no quarto e no peito a frase Sacra:

"____Se isso não é poesia, FOOODA-SE a poesia!!!!"

Por essas Muitas e outras que o seu presente 
é quampérius de lado Esquerdo,
bodoquerê de Fuzarca - que a gente 
em sete chaves Guardêa__________

____pra vida afora e pra Frente.

Um canto de Natal(Para Luciana Moraes. Escrito na manhã de 24/12/2017, na igreja presbiteriana de Bangu)

Mesmo que o tempo ande vestindo
árvores de terra seca, e seja(se/quando chova)
de araucária Partida a chuva gorda

eu te Amarei: mesmo que o meu sangue 
não seja mais que poeira espandongada_______ o firmamento 
vê passar teus dois pés, serenos e certos
como quem vem de Infinitos caminhos___________

ó Musa, mesmo que uma grande parte
do que existe me Anoiteça, o amor que tens
me Veste de erê-Bissau mamulengo,
mesmo em recintos onde ela treva
ande posseira__________

e tu és a nascida com mãos ardentes 
onde as coisas - mesmo acontecidas longe -
ficam Perto; porque me ensinas

que o mar absoluto é dançarino e nós 
os dirigentes da Folia_________ porque 

o Mestre, o Hóspede - imbrocação de Emaús - ainda Vive(e
sempre agarra os vendavais pelo cabelo),

dos fogaréus novo Aplauso.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Carne e Equinócios(Escrito em parceria com Luciana Moraes)

Entonces
bem acima de colunatas,
vértebras e aldeolas do Tempo
nome de nosso amor é Estrada:

lá vão Dois(somos Nós os compassos)
que pra detrás não Olharam
quando ao primeiro Passo(como Antélia,
mulher de Ló)___________

aliás bem noutro vendaval de galáxias 
que achamos à beira um Bardo, pleno de
pégasos nos sete Olhos - diaconou haver em Nós 
tesouro cuja manhã em carrossel
navegará para Sempre com a força 
das primeiras Caravelas no arrostêio
ao monstrengo do fim do Mar__________

princípio que se faz Carne e Equinócios
com seus améns e vitrais__________

pois não precisa que essa rua
que essa rua seja Nossa__________

a gente olhando à janela 
como Será: noite grávida 
do próximo Brilhôôô dele sol, Chegante,
tão... Novamente.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Poema Arânho(À memória de Mário de Sá-Carneiro. Dedicado ao meu irmão André Mauro)

Neste interlúnio o mais que me Incandeia
é noite sem braços - (súbito) pássaro
a rulejar de ternura, (mas) IntraMuros

e cujos olhos - como dissera um derviche -
apenas sabem
ter Sido__________

onde os footíngs da Eternidade
que me virem Rosto? (de novo) pássara, esfoliázia
a esperantina que('inda) broteja,
barca de flores quietas, Mas -
leito seco de rio: tal como o

sangue corrido não mais retorna
aos paredêmios dum corpo Esbarrondado...

a praia era alva e próxima, mas deuses -
do aço, açoite, Derramas - moveram-Na
pra muito além dos ventos de agosto,
não sobrarando erespumas, como suor
de um sonho empanzinado__________

e deles olhos o que por Fim rumoreja -
florisCência unícia
que me tocou por herança: é
eles Saberem(e chorandarem)
ter sido.